Tiago Baptista
O único espetáculo é o da espera

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Entendes?, 2022, Óleo e acrílico sobre tela, 175 x 250 cm (foto: Bruno Lopes)

Entendes?, 2022, Óleo e acrílico sobre tela, 175 x 250 cm (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Ermita, 2020, Óleo sobre tela, 65 x 50 cm (foto: Bruno Lopes)

Ermita, 2020, Óleo sobre tela, 65 x 50 cm (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Sem título, 2021, Óleo e tinta spray sobre papel, 42,5 x 30 cm (foto: Bruno Lopes)

Sem título, 2021, Óleo e tinta spray sobre papel, 42,5 x 30 cm (foto: Bruno Lopes)

Sem título, 2021, Óleo e tinta spray sobre papel, 42,5 x 30 cm (foto: Bruno Lopes)

Sem título, 2021, Óleo e tinta spray sobre papel, 42,5 x 30 cm (foto: Bruno Lopes)

Tule, 2021, Óleo sobre tela, 35 x 25 cm (foto: Bruno Lopes)

Tule, 2021, Óleo sobre tela, 35 x 25 cm (foto: Bruno Lopes)

Estrelinhas II, 2021, Óleo e tinta spray sobre papel, 42 x 31 cm (foto: Bruno Lpoes)

Estrelinhas II, 2021, Óleo e tinta spray sobre papel, 42 x 31 cm (foto: Bruno Lpoes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Cento e tal anos, 2021, Óleo sobre tela, 158 x 173 cm (foto: Bruno Lopes)

Cento e tal anos, 2021, Óleo sobre tela, 158 x 173 cm (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Sem título, 2019-2021, Óleo sobre tela, 140 x 140 cm (foto: Bruno Lopes)

Sem título, 2019-2021, Óleo sobre tela, 140 x 140 cm (foto: Bruno Lopes)

Frozen, 2021, Óleo sobre tela, 30 x 40 cm (foto: Bruno Lopes)

Frozen, 2021, Óleo sobre tela, 30 x 40 cm (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Cracked paintings, 2021, Óleo sobre tela, 40 x 30 cm (foto: Bruno Lopes)

Cracked paintings, 2021, Óleo sobre tela, 40 x 30 cm (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

Vista de exposição (foto: Bruno Lopes)

A promessa do tempo, 2021, Óleo, cera, pavio e fogo sobre tela, Dimensões
variáveis (foto: Bruno Lopes)

A promessa do tempo, 2021, Óleo, cera, pavio e fogo sobre tela, Dimensões
variáveis (foto: Bruno Lopes)

A 3 + 1 Arte Contemporânea tem o prazer de apresentar O único espectáculo é o da espera, exposição individual de Tiago Baptista (n. 1986, Leiria).

O trabalho de Tiago Baptista reflecte as relações estabelecidas entre aquele que pinta, aquele que olha, e o momento da pintura e o que ela apresenta. Perante o problema que é habitar um mundo carregado de significação, a obra de Tiago Baptista vive de uma tensão existente entre o momento da pintura, as figuras e formas representadas, mas também a linguagem e o sentido; uma tensão alimentada pelo silêncio, capaz de olhar sem excesso. Diante dela, somos convidados a olhar zonas de sombra, nascidas da tentativa de dar corpo a esse pacto revelado mudo – uma espécie de fé no visível.

Em O único espectáculo é o da espera, é apresentado um conjunto de pinturas nas quais a desaceleração implicada no acto de pintar, desperta o corpo de figuras animais para as quais o tempo, e a sua extensão, são matérias elementares. A distância que separa o entendimento humano do modo de existir de outras espécies, é também o que afasta o humano de modalidades de conhecer e saber essenciais, qualquer coisa que em pintura passa por acolher o imponderável, e que nesta exposição, o artista aproxima de uma linguagem na qual as palavras são para ser vistas. Aqui é proposto que se conciliem línguas durante o tempo vital, no qual, desequilibrado, o tempo pode ser uma sombra com medidas tangíveis, as quais somos convidados a ver, na espera.

Tiago Baptista (1986, Leiria, Portugal) vive e trabalha em Lisboa. Estudou Artes Plásticas na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha. A sua pintura é, “num primeiro deslumbre (…) como uma sequência de paisagens que nos confronta com imagens que detêm uma forte componente cinematográfica, no sentido em que cada pintura é como um momento de uma narrativa que se encontra num espectro de outras narrativas” (João Silvério, 2017).  Tiago Baptista é artista residente na Associação Zé dos Bois em Lisboa desde 2010. Participou também noutros programas residenciais: no Atelier-Museu António Duarte, Caldas da Rainha (2008-2009) e Culturia, Berlim (2013). Foi selecionado para o Prémio EDP Novos Artistas (2013) e galardoado com o Prémio Aquisição Amadeo de Souza-Cardoso (2015) e o Prémio Fidelidade Mundial Jovens Pintores (2009). Expõe regularmente desde 2007, e entre as suas exposições individuais destacam-se: Febre, curadoria de Natxo Checa, Galeria Zé dos Bois, Lisboa (2021); Desenho Sumido, curadoria de Alexandre Baptista, Espaço Santos + ESTGA, Águeda (2020); Véu sujo, um outro, Projectroom, Galeria de Arte – Banco de Portugal, Leiria (2019); Atrás do pensamento, 3+1 Arte Contemporânea, Lisboa (2018); A luz em si, A Montra, Lisboa (2014); e Dysfunctional, Atelier-Museu António Duarte, Caldas da Rainha (2009). Entre as suas exposições colectivas destacam-se: COSMO/POLÍTICA #5, curadoria de Paula Loura Batista & Sandra Vieira Jürgens, Museu do Neorealismo, V.F. de Xira (2020); RED LIGHT: Sexualidade e Representação na coleção Norlinda e José Lima, curadoria de Sandra Vieira Jürgens, Centro de Arte Oliva, S.João da Madeira (2020); Trabalho Capital, da coleção Norlinda e José Lima, Centro de Arte Oliva, S.João da Madeira (2019); Wait, Museu Coleção Berardo, Lisboa (2019); Do Tirar Pelo Natural. Inquérito ao retrato português, Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa (2018); Variations Portugaises, CAC Meymac (2018); Quote / Unquote. Entre Apropriação e Diálogo, Galeria Municipal do Porto (2017); Questionamentos, Palácio Vila Flor, Guimarães e Sala de Arte Joven, Madrid (2015); Atlas Secreto, Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Coimbra (2015); Prémio EDP Novos Artistas, Fundação EDP, Casa da Música, Porto (2013) e Anteciparte ’08, Museu da Cidade, Lisboa (2008). O seu trabalho está representado nas seguintes coleções: Coleção de Arte Contemporânea do Estado; Câmara Municipal de Lisboa; Fundação EDP; Coleção PLMJ; Coleção Norlinda e José Lima; Coleção António Cachola, Museu de Arte Contemporânea de Elvas, Coleccion AR2A, La Coruna; Coleccion Navacerrada, Madrid; entre outras coleções privadas nacionais e internacionais.

14.01.22 → 05.03.22
Inauguração 14.01.22, 14h → 20h

Folha de sala

A