Nuno Sousa Vieira
Me, myself and the others

Vista de exposição, Inhabitants #1 e #2

Vista de exposição, Inhabitants #1 e #2

Inhabitants #1, 2019, Grafite sobre envelope de papel craft e tecido verde de algodão (texto em latim), 95,5 x 74 x 6 cm

Inhabitants #1, 2019, Grafite sobre envelope de papel craft e tecido verde de algodão (texto em latim), 95,5 x 74 x 6 cm

Vista de exposição

Vista de exposição

Corpo, 1999/2019, Lacquered iron (ref: RAL 6020), altered wooden door and hardware, 172 x 99 x 75,5 cm

Corpo, 1999/2019, Lacquered iron (ref: RAL 6020), altered wooden door and hardware, 172 x 99 x 75,5 cm

Vista de exposição

Vista de exposição

Nuvens, 2019, Acrílico e óleo sobre contraplacado de madeira, fio de prumo de algodão, abraçadeiras de plásticos e ferragens, Dimensões variáveis

Nuvens, 2019, Acrílico e óleo sobre contraplacado de madeira, fio de prumo de algodão, abraçadeiras de plásticos e ferragens, Dimensões variáveis

Visão embaçada II, VII, VI, IV, V, 2014-2018, Acrílico sobre papel e vidro retirado de uma janela do ateliê do artista, 102,5 x 60 cm, 105 x 63,5 cm, 105 x 66 cm

Visão embaçada II, VII, VI, IV, V, 2014-2018, Acrílico sobre papel e vidro retirado de uma janela do ateliê do artista, 102,5 x 60 cm, 105 x 63,5 cm, 105 x 66 cm

Visão embaçada V, 2016, Acrílico sobre papel e vidro retirado de uma janela do ateliê do artista, 105 x 66 cm

Visão embaçada V, 2016, Acrílico sobre papel e vidro retirado de uma janela do ateliê do artista, 105 x 66 cm

Vista de exposição

Vista de exposição

Utopia, 2017, Tacos de madeira do ateliê do artista intervencionados, de modo a replicarem a obra Metrocubo d’infinito, 1966 do artista Italiano Michelangelo Pistoletto e fio de cânhamon, 120 x 120 x 120 cm

Utopia, 2017, Tacos de madeira do ateliê do artista intervencionados, de modo a replicarem a obra Metrocubo d’infinito, 1966 do artista Italiano Michelangelo Pistoletto e fio de cânhamon, 120 x 120 x 120 cm

Vista de exposição

Vista de exposição

Folha III, 2019, Acrílico sobre papel, 51,5 x 36,5 cm

Folha III, 2019, Acrílico sobre papel, 51,5 x 36,5 cm

Folha I, 2019, Acrílico sobre papel, 51,5 x 36,5 cm

Folha I, 2019, Acrílico sobre papel, 51,5 x 36,5 cm

Vista de exposição

Vista de exposição

A 3+1 Arte Contemporânea tem o prazer de apresentar a primeira exposição individual do artista Nuno Sousa Vieira na galeria, intitulada Me, myself and the others.

Nuno Sousa Vieira tem vindo a desenvolver uma extensa prática em torno do espaço do seu ateliê, antiga fábrica de Plásticos SIMALA. As suas esculturas, compostas por variados materiais fabris, elementos arquitetónicos, e móveis descartados, são o resultado de um processo que envolve a transladação do espaço de trabalho para material de trabalho e, por fim, para matéria de trabalho.

Nesta exposição, o artista apresenta um dos projectos mais autorrepresentativos, no qual cada obra informa ou dirige o espetador para um acontecimento determinante na sua prática e/ou pensamento. Me, myself and the others é simultaneamente o título da exposição e o título de uma das obras nela presente. Obra essa que dá espaço e tempo a todos os intervenientes necessários no processo criativo do artista, sejam eles de natureza material ou imaterial. A exposição ocupa os dois pisos da galeria, iniciando-se com uma obra intitulada Inhabitants, que se oferece de frente para o observador, mas que convoca uma ambígua dimensão temporal, considerando que se iniciou num tempo longínquo mas se projeta especulativamente até quando o observador o ambicionar. Para finalizar, no piso inferior da galeria, podem encontrar-se obras instaladas do ‘outro lado’ da parede da própria sala de exposição, não a da galeria, mas a do ateliê do artista.

Nuno Sousa Vieira (Leiria, 1971) vive e trabalha entre Leiria e Lisboa. Doutorado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, com a tese intitulada: O Ateliê – Do Mundo Para o Lugar. Sala de Exposição (1971/2015). Das suas exposições destacam-se: Constellations: a choreography of minimal gestures, curadoria de Ana Rito & Hugo Barata, Museu Coleção Berardo, CCB, Lisboa (2019); Nasci num dia curto de inverno, Fundação Portuguesas das Comunicações, Lisboa (2017); Portugal Portugueses, curadoria de Emanuel Araujo, Museu Afro Brasil, São Paulo (2016) ; Uma vida inteira, Fábrica de plásticos Simala, Leiria (2014); Uma ateliê, uma fábrica e uma sala de exposição, nem sempre por esta ordem, Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Coimbra, Portugal (2013); Wall stop for this, Appleton – Associação Cultura, Lisboa (2012); Collecting collections and concepts, uma viagem iconoclasta por coleções de coisas em formas de assim, Guimarães Capital  europeia da Cultura, Fábrica ASA, Guimarães (2012); Somos nós que mudamos quando tomamos efetivamente conhecimento do outro, Pavilhão Branco, Lisboa (2011); Don’t underestimate the impact of the workplace, (comissariado por MA Curatorial Practice, na University College Falmouth), Newlyn Art Gallery, Newlyn (2010); Let’s Talk About Houses: When Art Speaks Architecture [BUILDING, UNBUILDING, INHABIT], curadoria de Delfim Sardo, Museu do Chiado, Lisboa (2010). As suas obras integram coleções nacionais e internacionais tais como: PINTA – Latin América, Miami, EUA; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil; Navacerrada collection, Madrid, Espanha; Coleção Teixeira de Freitas, Lisboa, Portugal; Coleção António Cachola, Elvas, Portugal; e Coleção Fundação Caloust Gulbenkian, Lisboa, Portugal.

20.09.19 – 09.11.19
Inauguração 20.09.19, 19h – 22h

Folha de sala

Review Umbigo Magazine

A