Carlos Nogueira

'Junto ao chão', 2017/2018, capela, escória de ferro, ferro, sal, luz, o som do vento e da água que corre, bonança. Instalação temporária na Capela do Rato, Lisboa, 2019. (foto: António Jorge Silva)

'Junto ao chão', 2017/2018, capela, escória de ferro, ferro, sal, luz, o som do vento e da água que corre, bonança. Instalação temporária na Capela do Rato, Lisboa, 2019. (foto: António Jorge Silva)

Vista de exposição "mais desenhos de casas com luz. e escuridão", 3+1 Arte Contemporânea, Lisboa, 2018. (foto: António Jorge Silva)

Vista de exposição "mais desenhos de casas com luz. e escuridão", 3+1 Arte Contemporânea, Lisboa, 2018. (foto: António Jorge Silva)

Vista de exposição "casa comprida com luz", Museu Internacional de Escultura Contemporânea - MIEC, Santo Tirso, Portugal, 2016

Vista de exposição "casa comprida com luz", Museu Internacional de Escultura Contemporânea - MIEC, Santo Tirso, Portugal, 2016

Vista de exposição "o peso das coisas. leveza e claridade", Appleton Square, Lisboa, 2015

Vista de exposição "o peso das coisas. leveza e claridade", Appleton Square, Lisboa, 2015

Vista de exposição "nem o tempo passa", 3+1 Arte Contemporânea, Lisboa, 2015

Vista de exposição "nem o tempo passa", 3+1 Arte Contemporânea, Lisboa, 2015

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de exposição "o lugar das coisas", CAM - Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 - 2013

Vista de instalação "casa comprida com árvore dentro", Sculpture Park - Parque Urbano Sara Moreira Museu Internacional de Escultura Contemporânea, Santo Tirso, 2010

Vista de instalação "casa comprida com árvore dentro", Sculpture Park - Parque Urbano Sara Moreira Museu Internacional de Escultura Contemporânea, Santo Tirso, 2010

Carlos Nogueira (1947, Moçambique) vive e trabalha em Lisboa. O seu trabalho é marcado pela incessante investigação das relações entre a escultura e a arquitetura, o tempo e a luz, o espaço e o corpo, a palavra e a imagem. O tema da casa atravessa toda a obra de Carlos Nogueira, manifestando-se liricamente através dos títulos ou dos materiais minuciosamente escolhidos pelo artista – ferro, madeira, cimento, vidro, cal e carvão. Carlos Nogueira estudou Escultura na Escola Superior de Belas-Artes, Porto, e Pintura na Escola Superior de Belas-Artes, Lisboa. Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian (1982-1983), e do Secretaria de Estado da Cultura (1989-1990) e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (1989). Integrou as representações portuguesas à Bienal de Veneza (1986) e à Trienal de Arquitetura de Milão (1996). Prémio Camões da II Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira (1980) e Menção Honrosa na Bienal Internacional de Escultura e Desenho das Caldas da Rainha (1995). Exposições individuais selecionadas incluem: fotografias de trabalho. e outros desenhos, Arquivo Municipal de Lisboa – Fotográfico, Lisboa (2018); casa comprida com luz, Museu Internacional de Escultura Contemporânea, Santo Tirso, Portugal (2016); o lugar das coisas | a place for all things, CAM – Fundação Calouste Gulbenkian e Museu da Eletricidade – Fundação EDP, Lisboa (2012); construção. com luz, Museu Nacional de Arte Antiga (2004); a noite e branco, Museu da Cidade, Pavilhão Branco, Lisboa (2000); o mar, a mar e outros labirintos, Museu Nacional de Belas-Artes, Rio de Janeiro (1997). Coautor em trabalhos de arquitetura com Ueli Krauss, Miguel Nery, José Manuel Fernandes, Maria de Lurdes Janeiro, Manuel Aires Mateus, José Adrião, entre outros. Tem obras nas seguintes coleções: Fundação Serralves; CAM – Fundação Calouste Gulbenkian; Museo Nacional de Arte Reina Sofia; Archivo Lafuente; Museu do Chiado – MNAC; Brighton University; Coleção de Arte Fundação EDP; Centro Cultural de Belém; Museu Coleção Berardo; Câmara Municipal de Lisboa; entre outras coleções públicas e privadas internacionais.

Obras Seleccionadas

desenho de casa, 2017-2021, Madeira, ferro e carvão, 29,4 x 36 x 10,5 cm

desenho de casa, 2017-2021, Madeira, ferro e carvão, 29,4 x 36 x 10,5 cm

desenho, 2017-2021, Ferro e carvão, 41,7 x 114,3 x 8,7 cm

desenho, 2017-2021, Ferro e carvão, 41,7 x 114,3 x 8,7 cm

desenho de vento, 2016-2018, Ferro e carvão, 6 elementos, 999 x 9999 cm

desenho de vento, 2016-2018, Ferro e carvão, 6 elementos, 999 x 9999 cm

desenho de casa de esquina, 2017, Madeira, papel e carvão e luz, 21 x 60 x 15 cm

desenho de casa de esquina, 2017, Madeira, papel e carvão e luz, 21 x 60 x 15 cm

desenho de casa inclinada, 2017, Madeira, ferro e vidro, 2 elementos, 37,8 x 90,3 x 13,2 cm

desenho de casa inclinada, 2017, Madeira, ferro e vidro, 2 elementos, 37,8 x 90,3 x 13,2 cm

desenho de casa, 2006
Ferro, madeira, tinta acrílica e tinta de esmalte (2 elementos), 31,2 x 43,2 x 8,4 cm

desenho de casa, 2006
Ferro, madeira, tinta acrílica e tinta de esmalte (2 elementos), 31,2 x 43,2 x 8,4 cm

construção vertical 1, 2015
Madeira, ferro, esmalte e vidro, díptico,
258,6 x 64,8 x 37,8 cm

construção vertical 1, 2015
Madeira, ferro, esmalte e vidro, díptico,
258,6 x 64,8 x 37,8 cm

olhou para ele durante muito tempo. continuou então a desenhar, 1997, Ferro, madeira, tinta acrílica e grafite, 2 elementos, 30 x 37,4 x 19 cm

olhou para ele durante muito tempo. continuou então a desenhar, 1997, Ferro, madeira, tinta acrílica e grafite, 2 elementos, 30 x 37,4 x 19 cm

da sucessão dos dias e das noites, 2001, Ferro, madeira, grafite e tinta acrílica, 2 elementos, 30,3 x 37,2 x 18 cm

da sucessão dos dias e das noites, 2001, Ferro, madeira, grafite e tinta acrílica, 2 elementos, 30,3 x 37,2 x 18 cm

construção em branco, 2015, Madeira, esmalte e grafite, políptico, 132 x 60 x 30 cm

construção em branco, 2015, Madeira, esmalte e grafite, políptico, 132 x 60 x 30 cm

construção horizontal (díptico), 2015, Ferro Zincado, 43,5 x 137,4 x 48,6 cm

construção horizontal (díptico), 2015, Ferro Zincado, 43,5 x 137,4 x 48,6 cm

desenho de casa comprida, com rio por perto, 2017
Madeira, papel, carvão, cobre, zinco, 120 x 25,8 x 6 cm

desenho de casa comprida, com rio por perto, 2017
Madeira, papel, carvão, cobre, zinco, 120 x 25,8 x 6 cm

Exposições

A